Prefeito eleito de Lagoa Seca participa de encontro com ministro das Cidades em Campina Grande

Tendo como anfitrião o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), aconteceu na tarde desta segunda-feira, (31), no Complexo Aluízio Campos, um encontro dos prefeitos paraibanos com o ministro das Cidades, Bruno Araújo. O encontrou foi prestigiado por várias lideranças políticas, entre eles estava o prefeito eleito de Lagoa Seca, Fábio Ramalho (PSDB), e os vereadores eleitos de sua base, no último dia 02 de outubro.

Fábio Ramalho ressaltou que a presença do ministro das Cidades na Paraíba demonstra o interesse de sua pasta no sentido de proporcionar parcerias e ações nos municípios paraibanos. “Vamos buscar elaborar projetos consistentes e encaminhá-los para o Ministério das Cidades. Temos certeza que ações importantes em infra-estrutura, mobilidade urbana e habitação serão viabilizados para nosso município, pois, de nossa parte, vamos trabalhar para concretizar esses projetos junto ao Governo Federal”, salientou. 

Durante o encontro, o ministro destacou ações do governo federal, além de projetos futuros. Ressaltou, sobretudo, a importância da elaboração técnica de projetos que possibilitem aos municípios a obtenção de recursos federais.

Ao falar para aos presentes, o ministro das Cidades mostrou-se otimista quanto à retomada do crescimento econômico nacional a partir de 2017. Neste contexto, o ministro abortou a situação em se encontra o Governo Federal e ainda aproveitou para tirar dúvidas sobre algumas iniciativas da pasta sob o seu comando.

De acordo com o ministro, o diálogo com os prefeitos é fundamental, pois eles estão na base e vivenciam de perto as necessidades e problemas da população. Também falou sobre ações, como o Programa Cartão-Reforma.

A iniciativa concederá subsídios públicos para que a população de baixa renda compre materiais de construção para reformas em suas moradias. Ele explicou que o cartão valerá R$ 5 mil e atenderá famílias com renda de até 1.800 reais.

Outro assunto abordado foi à desorganização financeira do governo anterior, tendo sido, inclusive, firmados convênios e prometidos recursos que não poderiam ser realmente cumpridos.

“O número de convênios na área de saneamento só no meu ministério equivalia a 40 anos do orçamento de 2016. Na área de mobilidade, havia sido assinado o equivalente a 71 anos do orçamento do Ministério das Cidades. Ou seja, era tudo mentira”, lamentou o ministro.

Por fim, ressaltou que a sua pasta está de portas abertas para o recebimento de projetos de autoria das gestões municipais da Paraíba, alertando, contudo, para a necessidade de planejamentos de acordo com os requisitos técnicos e com efetiva destinação ao atendimento dos interesses coletivos.
Neste sentido, chegou a anunciar que será firmado um convênio com uma universidade nordestina, objetivando-se a capacitação técnica das administrações municipais no setor de elaboração de projetos.

Da redação,
com assessoria

0 comentários: