Em Lagoa Seca: Gilvando Carneiro financia perfuração de poço artesiano e ação pode resultar na cassação dos registros das candidaturas de Diego do Veleiro e de Dr. Carneiro, seu filho

Um fato curioso está acontecendo na área central da cidade de Lagoa Seca e deve repercutir durante o período eleitoral, inclusive, nas esferas judiciais. Trata-se da perfuração de um poço artesiano, que desde a tarde deste sábado (27), está sendo realizado na calçada do Mercado Público do Produtor.

A questão é que a obra está sendo financiada pelo médico e ex-prefeito Gilvando Carneiro Leal (PDT), que é pai do candidato a vice-prefeito na chapa liderada por Diego do Veleiro (PMDB). A polêmica, todavia, gira em torno dos possíveis interesses eleitorais da obra. 

Na manhã deste domingo, o jornalista Márcio Rangel flagrou o momento em que o ex-prefeito fazia a vistoria do poço. “Quem tá pagando a empresa para perfurar o peço é o ex-prefeito, Dr Gilvando. Olha ele alí atrás, chegou nesse momento pra ver a obra”, declarou um dos operários da empresa, quando questionado pele jornalista.

O fato é que primeiro: para executar a obra, Gilvando Carneiro deve ter conseguido autorização da Prefeitura Municipal de Lagoa Seca, caso contrário, poderá responder, inclusive criminalmente, pela prática de invasão de patrimônio público. Segundo: mesmo que a autorização tenha sido concedida pelo prefeito José Tadeu Sales de Luma (PSB) - aliado de Diego do Veleiro - o ex-gestor terá de explicar porque resolveu ‘ajudar’ a comunidade, que sofre com a falta de água, apenas agora, durante o período eleitoral, quando seu filho (Dr. Carneiro) é candidato a vice-prefeito.

Os advogados da Coligação “Esperança de Um Novo Tempo”, liderada pelo PSDB e mais nove partidos de oposição - que dá sustentação a candidatura de Fábio Ramalho - já iniciaram o processo de coleta de provas e devem entrar na justiça para impedir que a obra seja realizada durante o período eleitoral. 

“Está visivelmente claro o interesse eleitoreiro e o abuso de poder econômico na ação. O ex-prefeito pode até fazer algum benefício à comunidade, mas somente após o período eleitoral. O que percebemos é que estão querendo usar a situação de seca e a fragilidade social da falta de água para tentar angariar votos, e isso não é admissível. Se ficar comprovado o abuso de poder econômico, Diego e próprio filho do ex-prefeito (que é candidato a vice) poderão ter os registros de candidatura cassados pela Justiça Eleitoral” declarou o advogado Felipe Reul, responsável pela assessoria jurídica da Coligação “Esperança de Um Novo Tempo”.

Por Márcio Rangel

Um comentário:

  1. Anônimo31.8.16

    Caro amigo editor, você não acha que isso é um bem pra comunidade? Eu coloquei opção como anônimo porque não tenho ascesso as outras opções, mas eu sou o pastor Tone, ok

    ResponderExcluir