Moradores de Lagoa Seca reclamam pela falta da coleta de lixo e convivem com mau cheio, ratos e baratas

Moradores de Lagoa Seca,  cidade da região metropolitana de Campina Grande, no Agreste paraibano, continuam incomodados com o mau cheiro e proliferação de ratos e baratas, causados pelo lixo acumulado nas vias públicas da cidade. Segundo informações da própria população, em especial nas redes sociais, o serviço de coleta não está sendo realizado com regularidade. Em seus comentários (os moradores) na plataforma digital, "o carro que faz a coleta do lixo está sempre quebrado". A veracidade das denúncias estão comprovadas pelo Lagoa Seca Em Foco, em registro fotográfico realizado na manhã deste sábado (2) na BR 104, na Cidade Juracy Paulahno. No entanto, assessores da Prefeitura de Lagoa Seca garantem que o serviço será retomado e deve ser normalizado na próxima semana.

"Mau cheiro, proliferação de ratos e baratas, além de contaminação de doenças, como disenteria e leptospirose". Essas são as constantes reclamações dos moradores de Lagoa Seca com relação ao acúmulo de lixo que se prolifera em várias vias públicas da cidade. Para complicar a situação, existem poucos coletores ou vasilhames para coletar o lixo, ficando os resíduos sólidos jogados ao chão, nas ruas, e outros, em cima de calcadas.

Quem passa por Lagoa Seca, passando pela rua principal da cidade já percebe o descaso com a falta da coleta de lixo. No Centro, pedestres têm que disputar espaço na calçada com grandes pilhas de lixo, acumulados nos últimos dias. Para quem mora nos bairros, a situação é ainda mais complicada, já que tem de conviver com o mau cheiro e a proliferação de animais, devido a sujeira. 

Além do mau cheiro e do grande número de lixo espalhado pelas principais ruas, os moradores têm medo de que os casos de dengue cresçam e que ratos e baratas invadam as suas casas. “Nós não aguentamos mais essa situação, é muito descaso com nós, moradores, que pagamos os impostos. O bairro está tomado de sujeira e acreditamos que outros pontos da cidade possam estar na mesma situação”, completa Josefa Amorim, moradora do Morro.

Para comprovar o descaso com a saúde pública para com os cidadãos lagoasequenses, Mary Rodrigues, moradora do sítio Gruta Funda postou uma foto em seu perfil no facebook e disparou: "gente, estou indignada com tanta falta de respeito para com nossa comunidade. Uma caçamba da Prefeitura de Lagoa seca vindo colocar resíduos sólidos de novo aqui no antigo lixão. Todos já sabem que foi proibido pela justiça. Isso já é falta uma grande falta de vergonha na cara. Pronto falei". 

Por diversas vezes, moradores de alguns bairros e da zona rural - por conta da irregularidade da coleta - são obrigados a atear fogo no lixo para evitar o seu acúmulo e a transmissão de doenças. 

Da redação

0 comentários: