Ação solidária: moradores dos sítios Araticum e Cana executam obra que Prefeitura de Lagoa Seca deixa de realizar. "Isso é o retrato de uma gestão ineficiente", diz um morador

Moradores dos sítios Araticum e Cana, cansados de esperar pela Prefeitura Municipal de Lagoa Seca desistem de esperar e resolvem, por conta própria, fazer pavimentação de acesso as referidas comunidades rurais.  São apenas 15 metros de calçamento em paralelepípedos que a atual gestão deixou de executar, fazendo com que os moradores dessas duas localidades resolvessem um problema de anos, por falta de uma ação concreta da Secretaria de Infraestrutura. 

O acesso às comunidades, as margens da BR 104 Norte é bastante prejudicado, principalmente na época de chuva, já que existe no local uma pequena ladeira, sem contar que ao longo do caminho a estrada fica intransitável e prejudica a todos que trafegam por ela.

Para resolver o problema, vários pedidos para a execução da obra foram solicitados à Prefeitura, por meio das entidades rurais que representam as respectivas comunidades, sem nenhum resultado concreto. Sem perder mais tempo e desesperançosos, moradores da região, de forma solidária, arregaçaram as mangas e partiram para a ação. Cerca de 114 moradores contribuíram com recursos do próprio bolso e conseguiram arrecadar aproximadamente 4,5 mil reais, que deu pra comprar o material e ainda pagar alguns pedreiros. Dez trabalhadores executam a obra, que deve está concluída em oito dias. Os moradores também ajudam como podem, como, por exemplo, no transporte do material e outras ações secundárias. Alguns comerciantes dessas localidades ainda estão colaborando com a execução da construção do calçamento, que, definitivamente, resolverá o problema de acessibilidade dessa região.

Um dos enfrentantes da ação é o agricultor Wresty Kuecy Muniz que informou à reportagem do Lagoa Seca Em Foco que essa é uma ação solidária de todos os moradores dos sítios Araticum e Cana, visando uma melhor acessibilidades dos moradores da região, já que a atual gestão foi omissa em não executar uma obra que muito pouco iria custar aos cofres do município. "Com a desfaçatez habitual da atual gestão, isso é uma demonstração cabal da ineficiência do governo municipal que não ver as reais necessidades dos moradores da zona rural", disse.

De acordo com o aposentado Antônio Brandão Filho, que vive no local há mais de 70 anos, a situação é revoltante porque há anos eles esperam e nada. Ele revela que o desprezo dos poderes públicos tem revoltado os moradores da comunidade, que se reuniram e resolveram fazer. Ele contou também que a população foi esquecida. "Lagoa Seca não tem governo. A cidade está entregue a sorte", completou

Da redação

0 comentários: