Universidade Aberta à Maturidade da UEPB forma primeira turma do Campus II de Lagoa Seca

Após dois anos de muito aprendizado em 15 componentes curriculares, troca de experiências, relatos de história de vida e momentos de lazer e descontração, a primeira turma do curso de Educação para o Envelhecimento Humano da Universidade Aberta à Maturidade (UAMA), implantado pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), no Campus de Lagoa Seca, concluiu suas atividades.

A solenidade de colação de grau da turma pioneira da UAMA no Câmpus II aconteceu na manhã desta quinta-feira (2), no Auditório do Convento Ipuarana, em Lagoa Seca, e foi presidida pela professora Maria do Carmo Eulálio, pró-reitora adjunta de Graduação, que representou o reitor Rangel Junior. No total, 37 formandos entre 60 e 92 anos, a maioria da Zona Rural do município, colaram grau.

Como nas colações de grau anteriores, a solenidade foi marcada por muita emoção entre os formandos, professores e familiares. Sorrisos, lágrimas e palavras como saudade, superação e vitória marcaram os discursos. A juramentista da turma foi a formanda Margarida Demétrio, enquanto que o concluinte Domingos da Rocha foi encarregado de fazer o discurso em nome dos colegas.

Da roça para a Universidade: o Orador Oficial fez um discurso emocionante, ressaltando como a UAMA mudou a vida dos 37 formandos. Ele contou que entrou no programa para acompanhar a esposa que estava doente. Antes, pensava que o fenômeno da velhice o tinha colocado na solidão e no abandono. Só que o contato com os professores e alunos do programa mostrou como o envelhecimento pode ser saudável e feliz. “A UAMA me mostrou que é possível envelhecer sem exclusão. Mais que um título, aprendemos que o envelhecimento é da matéria e não do espírito”, relatou.

Escolhida como Paraninfa Geral da turma, a pedagoga e secretária de Assistência Social de Lagoa Seca, Maria de Fátima Demétrio Cabral parabenizou os formandos e disse que o dia era especial para todos, que superaram muitas dificuldades e conseguiram concluir o curso. Ela também destacou a importância da UAMA e disse que o programa tem ajudado a valorizar e transformar vidas. “Mostramos como é possível trabalhar o ser humano como um todo. A UEPB tem proporcionado vida digna para os idosos acima dos 60 anos”, frisou.

Idealizador e coordenador da UAMA, o professor Manoel Freire de Oliveira Neto, também fez um discurso carregado de emoção. Ele lembrou das dificuldades e da persistência dos formandos que mesmo em meio às adversidades não desistiram. O docente destacou que Lagoa Seca foi o primeiro município a fechar convênio com a UEPB para a implantação do programa e ressaltou que os idosos absorveram bem todos os conhecimentos nas diversas disciplinas oferecidas pelo curso.

O prefeito de Lagoa Seca, José Tadeu Sales de Luna, também enalteceu a perseverança dos formandos e anunciou a continuidade da parceria com a UEPB para a implantação, em breve, da segunda turma. Representante do reitor Rangel Junior na solenidade, a professora Maria do Carmo Eulálio ressaltou que a semente do conhecimento foi plantada, germinou e agora precisa ser cultivada. Em nome do reitor ela também parabenizou os agricultores por conseguirem concluir o curso e disse que a força de vontade deles inspira os jovens.

A solenidade foi encerrada com a entrega do Certificado do Curso, feita pelo professor Manoel Freire, simbolicamente, à concluinte Maria Inácia Coelho. As aulas do curso foram ministradas por docentes dos câmpus I e II da UEPB, totalizando uma carga de 800 horas/aula.

A vice-governadora Lígia Feliciano prestigiou a colação de grau da primeira turma da Universidade Aberta à Maturidade (UAMA). Ela foi convidada como patrona da turma e ressaltou a importância da reinserção do idoso em atividades que mantêm a mente e o corpo ativos.

“Estou muito feliz e honrada em fazer parte desse momento. É surpreendente ver que essas pessoas têm tanta vitalidade e vontade de aprender. Hoje com os avanços da medicina e a melhoria da qualidade de vida é possível as pessoas viverem mais e melhor, mas também é preciso bastante força de vontade para voltar a uma sala de aula e aprender coisas novas, mesmo com todos os obstáculos que a idade possa trazer. Todos aqui são vencedores”, destacou a vice-governadora.

A UAMA foi implantada na UEPB em 2009, no Campus de Campina Grande, sendo estendida para o Campus de Lagoa Seca em 2014 e para o Campus de Guarabira em 2015. Já são cinco turmas somente em Campina Grande em sete anos de funcionamento. Desde então já atendeu cerca de 450 idosos. Seu principal objetivo é proporcionar melhoria na qualidade de vida das pessoas a partir dos 60 anos, através de atividades educacionais, sociais, culturais e de convívio, possibilitando aos idosos a participação em aulas de formação especial aberta à maturidade, aprofundando seus conhecimentos em diversas áreas como: saúde, educação, ciências agrárias, direito, letras, pedagogia, tecnologia, cultura, lazer e temas relacionados ao envelhecimento humano.

Com redação

0 comentários: