Projeto de sinalização vertical e melhorias na organização do trânsito de Lagoa Seca são implantados

A Prefeitura de Lagoa Seca, por meio do Departamento de Transportes está concluindo a execução do projeto de requalificação do trânsito da cidade. Semáforos para pedestres e condutores de veículos foram instalados na rua Cícero Faustino da Siva. Por dia, aproximadamente 25 mil veículos trafegam pela principal artéria da cidade, que corta a BR 104 Norte, sentido Campina Grande e região do Brejo paraibano.

De acordo com o projeto de reordenamento do trânsito da cidade, alguns cruzamentos paralelos à avenida central e locais de estacionamento serão alterados com a implementação do novo sistema. Placas de sinalização serão colocadas nas principais ruas e avenidas do Centro com o intuito de orientar os condutores com relação ao novo sentido de algumas vias. Faixas de pedestres foram revitalizadas.

"Quanto a sinalização semafórica, a ativação está na dependência de uma autorização do DNIT, o que deve ocorrer até a próxima quarta-feira, dia 29. Também na próxima semana os agentes de trânsito do município já estarão nas ruas fazenda o trabalho de fiscalização, contando com o apoio tanto da PRF quanto da CPTRAN", informou Thadeu Guimarães, chefe do Departamento de Trânsito da Prefeitura de Lagoa Seca.

Com a instalação da sinalização vertical, antiga reivindicação dos moradores de Lagoa Seca, além de organizar o trânsito e melhorar o fluxo de veículos, em especial, na rua central da cidade, irá melhorar a visibilidade dos pedestres e dos motoristas, reforçando, substancialmente, a segurança de ambos.

Algumas orientações sobre os sinais de trânsito: faixa de pedestre e semáforo

A faixa de pedestres, propicia ao pedestre a preferência de passagem em vias públicas, conforme preceitua o artigo 70 do Código de Trânsito Brasileiro. Entretanto, conforme consta no próprio artigo, esta preferência possui limitações que devem ser seguidas à risca pelo pedestre, em nome de sua própria segurança. De acordo com o artigo, a preferência de passagem vale apenas para as vias que não dispõem de sinalização semafórica. Se houver semáforo junto às faixas de pedestres, a preferência de passagem deixa de existir devendo o pedestre respeitar o momento de permissão de passagem, através da luz semafórica.


Cabe ao pedestre também zelar pela segurança do trânsito, sob pena de sempre levar a pior ao tentar cruzar as vias, sem que observe as recomendações de segurança para o local. E esta premissa é prevista no próprio CTB, em seu artigo 254 inciso VI. Este artigo prevê multa ao pedestre que desobedeça a sinalização de trânsito. E neste caso, o desrespeito ao semáforo é infração de trânsito. Apesar da falta de regulamentação acerca da imputação de responsabilidade ao pedestre, fato que contribui para o grande número de atropelamentos em travessias controladas por semáforo, o pedestre deve também respeitar as leis de trânsito.

O semáforo para pedestres possui suas peculiaridades. De acordo com o Anexo II do CTB, as luzes semafóricas para pedestres possuem os seguintes significados:

Vermelha: indica que os pedestres não podem atravessar.

Vermelha Intermitente: assinala que a fase durante a qual os pedestres podem atravessar está a ponto de terminar. Isto indica que os pedestres não podem começar a cruzar a via e os que tenham iniciado a travessia na fase verde se desloquem o mais breve possível para o local seguro mais próximo.

Verde: assinala que os pedestres podem atravessar.

É importante que o pedestre conheça estes significados para que corrija seu comportamento no trânsito e preserve sua própria vida e a segurança viária. Destacamos o sinal vermelho intermitente, que segundo o CTB, representa ao pedestre a proibição do início da travessia ou ainda a aceleração da caminhada, caso já tenham iniciado a travessia. Cabe ao pedestre compreender que, mesmo respeitando os sinais de trânsito, cruzar uma via, já representa um elevado risco de atropelamento, imagine então, realizar esta travessia, desrespeitando a sinalização. Estes pequenos detalhes podem representar uma tênue fronteira entre a vida e a morte.

Da redação

0 comentários: