Eleições 2016: Ricardo Coutinho diz que não sobe em palanque com o PMDB. Situação do partido de Lagoa Seca será discutido com o diretório estadual do PSB

O governador Ricardo Coutinho (PSB) passou feito um furacão na região de Campina Grande, Agreste da Paraíba, na tarde desta terça-feira, 18, causando grande repercussão sua fala, em entrevista ao jornalista Arimatea Souza, na Rádio Campina Grande FM, quando trouxe à tona questões delicadas quanto a possível aliança entre PMDB e PSDB em algumas cidades da Paraíba. 

As duas legendas poderão estar juntas como aliadas em vários municípios neste ano, numa aliança voltada também para 2018. O adversário comum é Coutinho, alvo de críticas de peemedebistas e tucanos.

Na ocasião, Ricardo metralhou em duras críticas a gestão do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB). O chefe do executivo estadual desferiu também críticas ao atual processo de municipalização da AACD na cidade. "Romero usou do processo para promover empregos para cabos eleitorais", argumentou.

Com relação ao PMDB, o governador foi enfático ao afirmar que o partido, enquanto aliado do PSB, tem se comportado muito mais como opositor em algumas cidades do estado, e com isso tem assumido postura de destruidor dos próprios aliados. "Nossa gestão deu espaço espaço significativo para o PMDB, mas agora o PSB vai começar a jogar". Por fim, o governador da Paraíba afirmou que o povo reconhece as manobras de quem quebra a aliança e por isso não se preocupa.

Ricardo concluiu afirmando que não subirá no palanque do PMDB no pleito desse ano, em nenhuma cidade do estado. “Eu só vou subir no palanque do meu candidato. Se eu boto uma perna em um canto e a outra perna em outro, não vai dar certo, pois vou acabar abrindo escala”, enfatizou.

Ao passar pela região de Campina Grande, o governador do estado cumpriu extensa agenda administrativa, quando, na ocasião, fez a entrega da Escola Izabel Vieira de Andrade, na Chã do Marinho, em Lagoa Seca e assinou a ordem de serviço para pavimentação da PB-113 que liga Campina Grande a Jenipapo.

Repercussão em Lagoa Seca

A editoria de política do Lagoa Seca Em Foco entrou em contato com alguns integrantes do diretório municipal do PSB e o vereador Diego do Veleiro (PMDB), para saber de cada um como analisam a fala do governador, em entrevista à Campina FM, que repercutiu, de imediato, em toda a imprensa paraibana.

A pergunta comum, enviada para o presidente do PSB de Lagoa Seca, Geovaneto Vilar, vereadores Nelson Anacleto e Edvaldo Bode, ambos do PSB e Diego do Veleiro (PMDB) foi a seguinte: Ricardo Coutinho disse em entrevista que não subirá em nenhum palanque do PMDB. Como o senhor recebe essa fala do governador. Com essa afirmação, ficaria prematuramente abortada uma composição do PSB com o PMDB de Lagoa Seca?

Disse Geovaneto: "até o momento estamos na construção da candidatura do vereador Diego. No entanto, com o pronunciamento do governador, a executiva municipal irá conversar imediatamente com a executiva estadual para avaliar e definir os próximos passos. Fazemos parte de uma legenda que vem crescendo no estado e no país e, certamente, Lagoa Seca é uma cidade estratégica para o partido. Queremos deixar claro que não temos interesse de impor uma pré-candidatura, mesmo que haja uma orientação estadual. Estamos abertos ao diálogo e vamos buscar o que for melhor para Lagoa Seca".

Afirmou Nelson: "analisamos com cautela a fala do governador. Desse modo, precisamos ver e entender o seu contexto, em alguns aspectos. Primeiro: o PMDB teve uma posição de golpismo, onde o Michel Temer assume a presidência da república nessa situação de violência à democracia. Segundo: a posição do governador foi firme - e continua sendo ainda contra o golpe na democracia. Terceiro: temos que analisar as falas de Zé Maranhão, que sinaliza com uma possível aliança do seu partido, o PMDB, com o PSDB. Neste caso, o governador Ricardo Coutinho, a meu ver, está corretíssimo. Diante desse contexto, portanto, é preciso que sejamos prudentes nesse instante. Resta-nos, agora, dialogar com a direção estadual do PSB e vermos a situação de Lagoa Seca".

O ex-presidente da Casa Napoleão Coutinho disse à nossa reportagem que o diretório municipal do PSB convocará uma reunião até sexta-feira, 20, para, diante desse novo contexto e posição do governador Ricardo Coutinho, tomar uma posição oficial e definitiva sobre a aliança entre o PSB e PMDB de Lagoa Seca. "Vamos discutir com cuidado essa situação. Todos sabem de minhas posições: quando estava no PT sempre fui partidário, não vai ser diferente agora no PSB. Se o partido exigir de nós uma candidatura própria no município, vamos pra luta, não temos dúvida disso", sentenciou.

"Quero deixar claro que o PMDB de Lagoa Seca continua no rol de alianças com o nosso partido. O que há de novo é a fala do governador. Nossas decisões estarão sempre pautadas em sintonia com a direção estadual do PSB".

O vereador Diego de Veleiro, pré-candidato do PMDB a Prefeitura Municipal foi enfático: "Lagoa Seca é uma cidade atípica". Já o vereador Bode, monossilábico: "tudo vai dá certo".

Da redação

0 comentários: