Seminário reunirá agricultoras em Lagoa Seca para debater modelos de agricultura familiar no Agreste da Paraíba

Cerca de 50 pessoas entre dirigentes do Polo da Borborema (uma articulação de 14 sindicatos rurais da região da Borborema), agricultores familiares e assessores técnicos da AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia estarão reunidos nesta terça e quarta-feira, 12 e 13 de abril de 2016, no Seminário “Trajetórias da Agricultura Familiar no Agreste do Roçado: desafios na construção da Agroecologia”, que acontece no Convento Ipuarana, em Lagoa Seca.

Os objetivos do evento são: refletir sobre as trajetórias da agricultura familiar no Agreste do Roçado; analisar as redes de construção de conhecimentos e os estilos de agricultura a elas associados; refletir sobre a influência das políticas públicas nos diferentes estilos de agricultura e refletir sobre a atual conjuntura política e os desafios do Polo da Borborema na sua trajetória de construção da agroecologia no território. O evento tem um foco na região conhecida como “Agreste do Roçado”, uma caracterização do Agreste conhecida por seus roçados diversificados de feijão, fava, milho, entre outras culturas.

O Seminário é uma ação do Projeto Aliança pela Agroecologia, que tem como objetivo promover intercâmbio entre organizações de promoção da agroecologia da América Latina tendo em vista a análise e a produção de estudos que avaliem como governo e sociedade civil, nesses diferentes países, vêm se organizando para criar políticas para a promoção da agroecologia. O Aliança pela Agroecologia é uma iniciativa cofinanciada pela União Europeia e reúne organizações sociais de sete países – Bolívia, Nicarágua, Paraguai, Guatemala, Equador e Colômbia, além do Brasil – dedicadas à promoção do desenvolvimento rural sustentável.

A programação terá início às 9h da terça-feira, com abertura e apresentação do contexto e objetivos. Na segunda parte da manhã será feito um resgate da história da agricultura no Território, enfatizando o período mais recente procurando identificar a emergência dos estilos de agricultura familiar e as políticas públicas que foram acionadas pelos diferentes estilos. Na tarde do primeiro dia, será feita uma análise de trajetórias contrastantes dos agroecossistemas.

No segundo dia, os participantes irão refletir sobre os vínculos estabelecidos entre diferentes estratégias de intensificação dos agroecossistemas com as instituições e políticas públicas presentes no Território. No período da tarde, haverá uma análise das políticas públicas e da atual conjuntura político-institucional. O evento se encerra por volta das 16h.

Este trabalho faz parte do diagnóstico participativo da região que está sendo atualizado por meio da chamada pública de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER Agroecologia) do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) que tem à frente a AS-PTA em parceria com o Polo da Borborema.

Ascom/As-PTA

0 comentários: