Província em festa: profissões religiosas marcam encerramento do Capítulo das Esteiras e do Ano da Vida Consagrada

Nesta terça-feira, 02, há tempos o Convento de Ipuarana, em Lagoa Seca, no Agreste da Paraíba, não recebia uma grande festa, a começar pelos números: 9 frades professandos, sendo 5 de profissão solene e 4 de primeira profissão, mais de 90 frades presentes por ocasião do encerramento do Capítulo das Esteiras, e um cem números de familiares, amigos e membros das comunidades por onde passaram ou estão atualmente os jovens que professaram.

De acordo com a programação, às 09hs, adentrou ao convento uma longa procissão formada por frades, religiosas e padres diocesanos. As irmãs Clarissas de Campina Grande deixaram pela primeira vez a clausura do Mosteiro para se fazerem presentes no momento tão rico e significativo para a Província Franciscana de Santo Antônio.

No cortejo, com lamparinas nas mãos, Frei Adriano Ferreira, OFM, Frei Juscelino da Silva, OFM, Frei Izael Silva, OFM, Frei Alleanderson Brito, OFM e Frei Faustino dos Santos, OFM. Não levavam apenas uma chama acesa, mas o ardor e a vontade de uma entrega que já viviam e, naquela celebração, se faria mais visível diante de todo o povo de Deus. Uma entrega para toda a vida.

Na mesma procissão seguiam os neo-professors Frei Jailson Mercês, OFM, Frei Elivânio Luiz, OFM, Frei Diolindo Santos, OFM e Frei Mendelson Branco, OFM, além dos quatro noviços, Frei Diolindo Santos, OFM, Frei Elivânio Luiz, OFM, Frei Jailson Mercês, OFM e Frei Mendelson Branco, OFM, que pela primeira vez professariam a regra e a vida dos Frades Menores. Depois de um ano de estudo e aprofundamento dos pilares da vida franciscana, era nítida a expressão de alegria e contentamento por emitirem publicamente seus primeiros votos de castidade, obediência e nada de próprio.

Frei Beto Breis, OFM, Ministro Provincial, presidiu a Eucaristia, juntamente com o Vigário Provincial, Frei João Amilton dos Santos, OFM, e o Secretário para Formação e Estudos, Frei Rogério Rodrigues, OFM.

Iniciado o Rito da Profissão, falavam os gestos mais que as palavras: o embargo da voz ao recitar a Fórmula de Profissão “de viver por todo o tempo de minha vida em obediência, sem nada de próprio e em castidade”; a prostração durante o canto da Ladainha; a benção solene de consagração pela imposição das mãos do Ministro Provincial; as lágrimas que não se continham ao receber o abraço de acolhida dos irmãos.

A mesa na qual se consagrava o Corpo e o Sangue do Senhor confundia-se com a consagração dos religiosos e religiosas presentes, que celebravam o encerramento do Ano da Vida Religiosa, proclamado pelo Papa Francisco. Na entrega dos nove irmãos, expressava-se a consagração de todos os que doam sua vida a serviço do Reino.

Ação de Graças pelo “Sim” dos irmãos e irmãs consagrados na Festa da Apresentação do Senhor.

A memória da Virgem Maria Imaculada foi tomada como modelo desta doação. Uma singela imagem de Nossa Senhora, trazida pelos noviços franciscanos do ano de 2016, foi entronizada junto à Regra dos Frades Menores. A Ave-Maria de Schoubert foi tocada em violino pelo pai de um dos professandos, convidando a Assembleia à uma silenciosa prece por todos os consagrados e consagradas.

O Capítulo das Esteiras culminou com a celebração de encerramento do Ano da Vida Religiosa Consagrada.

As religiosas que se encontravam no meio do povo foram chamadas ao altar pelo presidente da Celebração, para, com os demais religiosos que se encontravam no presbitério, receber os parabéns pelo seu dia. Com a benção final, Frei Beto motivou os convidados para que a celebração continuasse, já que era dia de festa. Uma calorosa recepção, preparada para todos os presentes, prolongou a mesa da Eucaristia na partilha e na conversa fraterna e alegre.

Por Frei Marcos Carvalho, 
com redação


0 comentários: