Província de Santo Antônio do Brasil realiza em Lagoa Seca o Capítulo das Esteiras 2016

Tiveram início na noite desta sexta-feira, 29, no Convento Santo Antônio de Ipuarana, em Lagoa Seca, Agreste da Paraíba, as atividades do Capítulo das Esteiras 2016 da Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil. Mais de 80 frades das fraternidades que compõem a Província chegaram já na noite anterior para celebrar, refletir e animarem-se na missão.

Frei Sérgio Moura Rodrigues, Definidor Provincial e guardião da Fraternidade de Canindé, CE, presidiu a Celebração Eucarística que iniciou os trabalhos do primeiro dia de atividades. A Santa Missa foi concelebrada por Frei João Amilton dos Santos, Vigário Provincial, que na homilia ressaltou a importância do Capítulo, para celebrar a vida e a vocação franciscanas.

Não faltou também, já na Sala Capitular, a palavra de abertura do Ministro Provincial, Frei Beto Breis, OFM, que recordou a exortação do Papa Francisco aos Religiosos e Religiosas, ao conclamar o Ano da Vida Consagrada, convidando a ‘olhar com gratidão o passado, viver com paixão o presente e abraçar com esperança o futuro’. Com estas motivações, Frei Beto exortou aos irmãos a viverem com intensamente os dias de Capítulo, como apelo do próprio São Francisco ao encontro e à partilha.

O Ministro Provincial fez também memória de Frei Walfrido Mohn, falecido no dia anterior, que também exerceu o serviço de Ministro Provincial (1973-1979), destacando seu testemunho de profecia e ousadia criativa tão bem assumidas pelo franciscano.

Todo o primeiro dia de Capítulo foi assessorado por Frei Sandro Roberto, OFM, da Província da Imaculada Conceição. Historiador e professor do ITF (Instituto Teológico Franciscano - Petrópolis), Frei Sandro ajudou os capitulares a lançarem um olhar para a história da Ordem Franciscana, enfatizando alguns momentos das chamadas “reformas observantes”, ramo espiritual ao qual estavam ligados os primeiros frades que vieram ao Brasil e, posteriormente, constituíram a Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil.

Durante sua conferência, Frei Sandro mostrou, a partir de testemunhos históricos, como a forma de vida franciscana foi assumida com fidelidade, através de atitudes proféticas que “incomodavam”. Não deixou de referir-se, também, às vezes que os frades menores deixaram de lado aquilo que lhe era mais característico: a vida de pobreza e a presença junto aos mais pobres.

Seguindo pela tarde, o assessor do dia abordou a presença evangelizadora dos frades ao longo dos mais de três séculos no nordeste do Brasil. Mencionou entre outros aspectos, o testemunho de doação, abnegação e pobreza dos pioneiros da evangelização nestas terras, como também, por outro lado, se observou muitas vezes um distanciamento do ‘fervor’ inicial.

Uma sessão com filmes antigos recuperados através do projeto do Arquivo Provincial Franciscano trouxe boas recordações na noite do primeiro dia. Muitos foram os que se reconheceram ou viveram aqueles momentos registrados, que mostra os frades atuando em diversos serviços e atividades pastorais.

Com redação

0 comentários: