“Eleitor vai ficar chocado com decisão do PMDB de apoiar Ricardo”, afirma deputado mais votado em Lagoa Seca...

“O eleitor vai ficar chocado com essa decisão”, disparou o deputado reeleito, Manoel Ludgério (PSD), nesta quarta-feira, 08, após anúncio do PMDB de apoiar a candidatura à reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB). O parlamentar, que foi o mais votado no Estado e em Lagoa Seca, (2.963 sufrágios) com o apoio do ex-prefeito Edvardo Herculano (PSDB) e aliados, disse que respeita a decisão do senador eleito, José Maranhão (PMDB), mas que acredita que sua escolha não foi a acertada.

“Eu acredito que ele não analisou que o apoio que ele teve no primeiro turno foi, em grande parte, de pessoas que votam em Cássio. Ele deveria ter feito uma consulta mais ampla com suas bases e com o seu partido”, disse em entrevista à rádio Correio.

Segundo ele, quem assistiu os debates viu o quanto Vital atacou o governo de Ricardo e, por essa razão, vai se surpreender com a mudança de opinião. “Quem viu os debates, a forma contundente como o PMDB atacou Ricardo não vai entender. Se Maranhão queria convergir deveria ter ficado afastado dessa decisão. Não acredito que esse apoio agregue, acredito que Maranhão vai perder muito”, falou.

Manoel Ludgério disse que tem uma expectativa positiva para o segundo turno. "A eleição não será decidida pelos agentes políticos, a eleição será decidida pelo povo da Paraíba. Se o eleitor paraibano tomasse conhecimento de determinados acordos que são feitos por detrás das cortinas,discursos que se quebram poucas horas depois de terminar uma eleição de primeiro turno, o eleitor certamente teria uma atitude de imediato de queimar até o seu título de eleitor", disse.

O parlamentar disse que segue a mesma posição do primeiro turno. "Eu sigo com a coligação de Cássio Cunha Lima ao governo da Paraíba e espero que o paraibano possa decidir, mais uma vez, de forma livre, sem nenhum tipo de instrumento de coação ou de pressão que venha a querer mudar o rumo de uma decisão individual do eleitor", ressaltou.

Da redação,
com assessoria

0 comentários: