Caos na saúde de Lagoa Seca: insatisfeitos com salários e condições de trabalhos, profissionais podem entrar em greve...

Insatisfeitos com as péssimas condições de trabalho e o não pagamento do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica (PMAQ), algumas categorias de servidores da saúde da Prefeitura de Lagoa Seca, Agreste paraibano, paralisaram suas atividades e promoveram, na manhã desta quarta-feira, 17, uma manifestação em protesto pela situação caótica em que se encontra a saúde no município.

Os manifestantes saíram em passeata da sede da secretaria de Saúde, localizado no bairro do Morro, até o prédio da Prefeitura Municipal, localizado na rua Cícero Faustino da Silva, Centro da cidade. Com palavras de ordem, apitaços e cartazes, os servidores da saúde foram às ruas para denunciar a população dos problemas que são enfrentados, bem como as limitações que o serviço de atenção básica tem no município.

Para alguns usuários dos equipamentos de saúde no município, “a verdade é que a saúde em Lagoa Seca está na UTI: faltam médicos nos PSF’s, medicamentos nas farmácias, equipamentos adequados, entre outras mazelas, disse Maria do Carmo, moradora do bairro Anacleto, que foi as ruas apoiar a manifestação.

Para debater a situação caótica da saúde no município, uma comissão foi tirada para debater nesta sexta-feira, 19, em audiência pública, Câmara de Vereadores de Lagoa Seca os vários problemas que atingem o setor.

Caso não sejam cumpridas as exigências dos profissionais de saúde de Lagoa Seca, a situação poderá ficar mais complicada, já que uma greve pode ser deflagrada a qualquer momento.

Da redação

0 comentários: