“50 Anos Tecendo a Historia a Serviço da Vida“: religiosos celebram, em Lagoa Seca, 50 anos das Pequenas Comunidades Inseridas do Nordeste

Religiosas inseridas nas realidades mais duras e desafiadoras do Nordeste, reuniram-se de 26 a 28 de setembro, no Convento Ipuarana de Lagoa Seca, Dioces de Campina Grande, para celebrar os 50 anos de inserção. O relato é de Irmã Gê, que conta o que significou esse momento.  

"O encontro foi de festa para as “Pequenas Comunidades Inseridas” que celebraram  50 anos de caminhada no Nordeste II.  Os 128 participantes chegaram do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Sergipe, Pará e Ceará.  Houve muito reencontro, aconchego, alegria e animação.

Durante o evento,  várias sub-regiões apresentaram, em forma criativa , momentos fortes de sua história relembrando as lutas, as vitórias, as pessoas companheiras de caminhada, e  incluindo as que já fizeram a sua páscoa. Uma síntese atualizada em Power Point e a recuperação de um antigo vídeo ajudaram ainda mais a saborear uma belíssima historia de vida e compromisso com o povo nordestino.

Sábado, à tarde, cinco participantes em painel apresentaram inserções atuais:  na Rede um Grito pela Vida, nas Políticas Públicas, no acompanhamento de portadores de HIV e homo-afetivos, no Projeto Thallita e no mundo do trabalho. Ao final da tarde uma análise da conjuntura atual feito pelo professor Almir Basio, da Universidade Rural de Pernambuco, ofereceu novas provocações e desafios para a vida religiosa inserida nos meios populares.

Domingo, de manhã, a palavra foi dada a Ir. Maria Inês Ribeiro,mad, Presidente da CRB Nacional que participou do encontro e expressou seu apreço à caminhada das PCIs de nosso regional. Ela falou com entusiasmo do ano da Vida Consagrada com abertura no dia 30 de novembro de 2014, estendendo-se até o dia 02 de fevereiro de 2016.

Foi com uma missa de ação de graças, presidida  pelo  pe. Carlos Alberto da Costa Silva, SCJ, coordenador da CRB Regional de Recife que encerramos nosso maravilhoso encontro. Dom Sebastião Armando, bispo anglicano e amigo de caminhada, rezou uma ladainha de ação de graças.   A irmã Cecília Pousa fez os agradecimentos e o envio.  As irmãs mais antigas da caminhada foram homenageadas com uma placa que retrata  nossa significante logomarca:  um mandacaru florido.  Fortalecidas pelo Pão da Vida, pelo pão partilhado, pela vida partilhada, voltamos, cada uma, cada um para seu lugar, inserida/o no meio popular deste imenso Nordeste".

Com redação

0 comentários: