Crime que abalou moradores de Lagoa Seca continua impune após 12 anos...

Um crime que abalou todo município de Lagoa Seca, após 12 anos, continua impune. O m andado de prisão foi expedido no 09 de abril de 2003 e o acusado do homicídio, Manoel Henrique Pereira, marido da vítima, nunca foi preso e continua foragido.

“Que a justiça seja feita”, é o que espera o casal Dorgival de Aquino Oliveira e Maria das Graças Oliveira, pais de Edilene Oliveira Aquino, assassinada com um tiro de espingarda no peito, pelo marido, no dia 4 de dezembro de 2002. O crime aconteceu no interior da residência do casal, no Sítio Covão, zona rural de Lagoa Seca. 

Quando foi morta, a jovem estava no quarto com uma filha de dois anos. Na época Edilene Oliveira tinha 26 anos e Manoel Henrique, 28.

“Ele bebia muito e tinha muito ciúme de minha filha, mas ela nunca deu motivo. No dia do crime ele pegou uma espingarda, apontou o cano para o peito dela e disparou. Edilene estava dando mamadeira para a menina, na cama”, contou o pai, Dorgival de Aquino.

Seu Dorgival acrescentou que Edilene, durante muito tempo, escondeu que era espancada pelo marido. “Ela apanhava muito. Eu sempre desconfiava, mas ela sabia que se eu soubesse disso poderia ter feito uma desgraça”.

O tempo passou e as marcas da dor permanecem. As sequelas desse crime são visíveis nos pais de Edilene. O agricultor adquiriu problemas cardíacos e dona Maria das Graças já sofreu um acidente vascular cerebral. 

Da redação,
Com informações de Renato Diniz

0 comentários: