Moradores e estudantes de Lagoa Seca fazem protesto contra insegurança na região...

Mais uma vez moradores e estudantes da cidade de Lagoa Seca, município localizado na região metropolitana de Campina Grande, no Agresta da Paraíba, voltaram a protestar na manhã desse sábado, 12, contra o clima de insegurança que só tem aumento nos últimos meses. O protesto intitulado S.O.S. Lagoa Seca que aconteceu em frente a Prefeitura Municipal, surgiu diante dos inúmeros casos de violência que vem acontecendo no município. Somente nos quatro primeiros meses desse ano, 9 homicídios foram registrados, contra 7 no ano passado. 

A manifestação foi pacífica. Muita gente participou e aderiu ao ato de protesto, cobrando mais ações contra a violência na região. Polícias Militar, Civil e PRF acompanharam de perto toda movimentação. Houve uma longa fila de veículos ao longo da BR 104 Norte, que corta o centro da cidade. 

De acordo com Kaline Maria, estudante da Escola Estadual Francisca Martiniano da Rocha, a violência não escolhe classe social. "Todos nós estamos passíveis de sofrer qualquer ato de violência. Uma colega nossa - da turma noite - foi vítima de estupro quando saiu da escola e se dirigia para sua casa; diante disso saímos pra rua para fazer esse protesto", disse.

Já a moradora da cidade, Mônica Leite, disse que que os casos de violência acontecem todos os dias. "São inúmeros os casos de assaltos, arrastões e ameaças de morte contra os moradores de Lagoa sEca. A cidade pede socorro", desabafou.

A comerciante Tânia Oliveira que participou do protesto informou que os ladrões não respeitam ninguém e agem de todas as formas. "Meu sobrinho foi assaltado dentro da agência do Banco do Brasil quando fazia um depósito. Eu estou aqui não pedindo só por mim mais segurança e, sim, por toda população", afirmou.

Para ter ideia do que vem acontecendo em Lagoa Seca arrastões vêm acontecendo em vários bairros, aulas na maior escola pública da cidade já foram suspensas e até aniversários entre famílias foram interrompidos por bandidos. Os comerciantes da zona urbana e rural também vivem assustados. Moradores têm que fechar as portas logo cedo com medo de invasões e ninguém fica mais nas ruas para as costumeiras conversas que geralmente acontecem entre vizinhos, como de costume nas pequenas cidades do interior.

Segundo Comando de Polícia Militar com sede em Campina Grande informou que medidas já foram tomadas para intensificar o policiamento na região. O sub-comandante, Maj. Gilberto, disse que a cidade vai receber uma viatura da patrulha rural e o apoio da Força Tática e da Rotan.

Da redação

0 comentários: