Em Lagoa Seca: manifestantes interditam rodovia por mais de duas horas e protesto gera transtorno e causa acidentes na BR-104 Norte

Moradores das comunidades Juracy Palhano e Ezequias Trajano, em Lagoa Seca, no Agreste paraibano, interditaram o trecho da BR-104, na saída para Campina Grande, na tarde desta sexta-feira (14).

O protesto começou por volta das 16h30 e durou mais de duas horas. Os manifestantes queimaram galhos na pista e impediram o tráfego de veículos. 

A Polícia Rodoviária foi ao local tentar negociar a liberação da pista com os manifestantes. A interdição deixou o trânsito naquele trecho parado e um grande congestionamento se formou, atrapalhando a viagem dos motoristas que trafegam pela BR 104 Norte, conhecida com Anel do Brejo.

Como chovia muito no local, a interdição também gerou muitos problemas como outros acidentes. Alguns carros colidiram e duas pessoas ainda ficaram feridas em colisões. A situação ficou caótica e várias equipes do Samu e PRF tiveram que ser relocadas para atender a demanda no movimento.

Os moradores pedem mais segurança na rodovia e denunciam a ocorrência de acidentes. Eles querem que sejam instalados quebra-molas e uma lombada eletrônica para que os motoristas sejam obrigados a diminuir a velocidade na área urbana.

Uma lombada eletrônica foi colocada nas proximidades da entrada da área urbana, mas os moradores reclamam que os motoristas não estão obedecendo ao limite imposto pelo equipamento e acidentes continuariam a acontecer. Os moradores pedem que a lombada seja instalada próximo à faixa de pedestre, em frente ao restaurante Recanto da Lagoa.

O protesto foi impulsionado pelo atropelamento de uma jovem durante a manhã. Segundo os manifestantes, um motorista não teria parado diante da faixa de pedestre e teria causado a morte da vítima.

Por Márcio Rangel

0 comentários: