Previsão de chuva anima moradores de Lagoa Seca e renova esperança de um bom inverno em 2014


Nas últimas 24 horas, choveu em mais de 70 cidades da Paraíba, segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). Os maiores índices pluviométricos foram registrados no Cariri e Sertão. A precipitação foi provocada por vórtices ciclônicos que atuaram na maior parte da região Nordeste.

Entre as cidades onde a chuva ocorreu com maior intensidade estão: Sousa (159,8 mm), São José de Caiana (152 mm), Santa Inês (127,1 mm), Boa Ventura (113,5 mm) e Diamante (112 mm). De acordo com o boletim da análise previsão meteorológica da Aesa, pode voltar a chover nesta quinta-feira à tarde nessas cidades. 

Durante este mês, a Aesa registrou chuvas em todas as regiões paraibanas. Além de São João do Tigre e São Sebastião que registraram maiores índices ontem, também foram os que mais registraram chuva no mês, as cidades de Sumé (Cariri) com 28 mm, e São Miguel de Itaipu (Mata paraibana), com 22 mm. No Brejo, o destaque foi para Areia, 19,7 mm. Já no Agreste, foram os municípios de Remígio, 19,2 mm e Esperança/São Miguel, 18,8 mm.

Nesta quinta-feira (19), meteorologistas de todo Nordeste reuniram-se em Campina Grande para elaborar a previsão climática para 2014.

Nesse momento, chove em Lagoa Seca, Agreste da Paraíba. A previsão é de céu nublado, com chuvas ocasionais para esta sexta-feira (20). Os pequenos açudes estão quase secos na zona rural e famílias recebem água por meio de carro-pipa, através do Programa Água Para Todos do Governo Federal e da Prefeitura Municipal. Apesar de fraca a chuva, a precipitação pluviométrica alegra a população do município, principalmente àqueles que trabalham com a agricultura, que ver renovada a esperança de um bom inverno em 2014. 

Enquanto isso, a Secretaria de Agricultura e Infraestrutura do município continuam trabalhando fortemente na recuperação dos pequenos açudes e barreiros dos agricultores em várias regiões da zona rural, na perspetivava  do recebimento e acumulação de água, que servirá para o trabalho no campo, consumo doméstico (das famílias) e dos animais.

Por Hélder Loureiro

0 comentários: