Em Lagoa Seca série de eventos marca o Dia Nacional da Cultura

No dia 5 de Novembro é comemorado o Dia Nacional da Cultura. Para celebrar a data, a Secretaria de Cultura do Município de Lagoa Seca está realizando uma vasta programação especial que iniciou-se hoje (05) e se estenderá até o final do mês. Das 07h00 às 21h00, apresentações circenses, feira de artesanato e shows gratuitos espalhados por diversos pontos da cidade aconteceram.

A solenidade de abertura aconteceu às 08h00 nas dependências do Convento Ipuarana, onde estiveram presentes o prefeito José Tadeu, assessores, profissionais da imprensa local, autoridades, gestores culturais e artistas de Lagoa Seca. Vários gestores culturais de Alagoa Nova, Pocinhos, Bananeiras, além do representante do Ministério da Cultura, José Jailson, também se fizeram presentes.

Na ocasião, foram lançados os Projetos Tapete Mágico e Cinema, Poesia e Pipoca, além dos projetos da Biblioteca Pública Municipal e da Cinemateca.  Foi lançado ainda os Projetos Música de Câmara e Cultura da Praça. Foram apresentados outros projetos que serão encaminhados ao Ministério da Cultura para captação de recursos, como xilogravura e literatura de cordel: cultura do nosso povo, jóias do lixo e reciclagem de papel (parcerias SEDUC/SECULT) e a construção da Casa da Cultura Paulina Diniz. Pra finalizar foram anunciadas as parcerias entre SECULT, Prefeitura e Museu do Índio e Ponto de Cultura Ypuarana.

O prefeito José Tadeu elencou as dificuldades da pasta da cultura, mas também apontou soluções para o crescimento, disse ele que “é necessário muita responsabilidade de todos que fazem a arte acontecer, sua disseminação, conservação e até financiamento". Sabendo disso e com atenção a este tema, citou que o município de Lagoa Seca já aprovou a disponibilidade de até 3% no orçamento anual para investir na cultura local. "Não é tão simples quanto parece, tudo requer muito envolvimento e a participação popular" argumentou.

Os representantes dos demais municípios relataram suas dificuldades e experiências, principalmente a vontade da formação de um consócio cultural, para montar intercâmbios e diminuir os gastos com festivais e eventos. Alguns meios legais para que empresas privadas também invistam na cultura foram citados, sem perder o foco do investimento dos entes federados, União, Estado e Municípios. Outro ponto bastante discutido foi a arte a partir do olhar da coletividade, nas mais diferentes esferas e espaços educacionais e sociais. Salientando a importância de conhecer os saberes popular, clássico e erudito e de entender as leis que consolidam as parcerias e os investimentos, o que deveria acontecer via através de cursos de gestão cultural, a exemplo do já existente no estado da Paraíba.

Arrematando todas as questões, José Jailson, do Ministério da Cultura, parabenizou a iniciativa e se colocou à disposição para quaisquer eventuais dúvidas. "A ideia do fazer cultura nasce do povo, a arte de forma geral é produzida pelo povo e deve ser financiada pelo poder público, é uma parceria entre ambos. As leis de incentivo ainda são recentes e precisam amadurecer aos poucos com a colaboração de todos, mantendo parcerias, subsidiando financeiramente, incentivando as publicações e a própria comunicação no âmbito local e nacional", ressaltou.

Durante a manhã, a arte clássica e erudita se completaram, além de uma exposição de xilogravura e de cordel. Várias apresentações artísticas estão previstas para acontecer durante o restante do dia, como espetáculos de teatro e de música na Praça da Matriz, Centro de Lagoa Seca. 

Da Redação,
com Silvanna Ramos

0 comentários: