Especial Ipuarana 70 anos: conheça um pouco de sua história marcante em Lagoa Seca

Desde o processo de nossa colonização, podemos destacar a presença das missões religiosas no Brasil, que tiveram como papel a catequização dos índios. Os franciscanos chegaram no Brasil com esse mesmo objetivo.

A história da formação e desenvolvimento da cidade de Lagoa Seca, no Agreste paraibano também está marcada por fortes características religiosas, fator este influenciado pela presença das ordens missionárias Franciscanas e Maristas.

Em 1939, provenientes da Província Franciscana do Nordeste do Brasil, com sede em Recife, chegaram os Frades Franciscanos a Lagoa Seca. Segundo o livro de comemoração dos 25 anos do Convento Ipuarana, em 26 de setembro de 1939, o terreno para a construção do colégio foi comprado por nove contos de reis, a metade do que valia o terreno, tendo em vista que o terreno seria comprado pela Ordem Franciscana.

A ordem Franciscana vinha sofrendo represálias nazistas na Alemanha e a opção pelo Brasil tinha como finalidade restaurar a Província Franciscana devido às leis impostas por Hitler, que proibia a entrada de novos noviços na ordem.

Muitos frades franciscanos vinham para o Brasil fugidos da Alemanha, onde sofriam todos os tipos de perseguições.

A fundação e a construção do Convento Ipurana foram marcadas pela presença de três frades Franciscanos. No dia 28 de novembro de 1939 chegaram Frei Pedro Westermann e Frei Lamberto Hoetting e em 1940 Frei Manfredo Pantenburg. “Frei Pedro, o guia, Lamberto, o técnico, e Manfredo, o apóstolo” (IPUARANA: 25 anos depois, p.40). Logo que chegaram a Lagoa Seca, os frades franciscanos passaram a morar em uma casa da paróquia que pertencia a Antônio Borges.

No dia 28 de Janeiro de 1940, às 4 horas da tarde, um domingo, foi lançada a primeira pedra da construção do Colégio Seráfico Santo Antônio. A benção solene foi dada pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Moisés Coelho (UCHOA, 66 p. 506).

Em 5 de agosto de 1940, os frades transferiram-se para a primeira parte do seminário construído. Em 1941, o Colégio Seráfico Santo Antônio começa suas aulas, com apenas duas salas e 19 alunos para o curso primário.

Alguns professores e alunos vieram transferidos de João Pessoa do Seminário de São Pedro Gonçalves. Entre os primeiros frades do seminário estavam Frei Pulo, Frei Marcelo, Frei Ângelo, Frei Geraldo e Frei Albino. E em 15 de junho de 1942, iniciou-se a construção do Convento. Grande parte da construção foi feita com a ajuda dos moradores de Lagoa Seca.

Dois anos depois, com sua estrutura melhorada em 1943, começou a funcionar o seminário. O convento se tornou Colégio Seráfico de Santo Antônio e era administrado pelos frades que recebiam algumas contribuições financeiras das famílias dos seminaristas e das verbas que vinham da Alemanha.

Com o andamento da sobras, foi iniciada a construção da igreja, em 2 de fevereiro de 1944 e construída em 7 de outubro de 1945.

A implantação do Convento Franciscano foi um fator positivo para o desenvolvimento da Vila de Lagoa Seca, já que era muito grande o número de alunos que vinham de fora para estudar.

Além das disciplinas curriculares, desenvolveram-se várias oficinas com atividade práticas como carpintaria, padaria, alfaiataria, sapataria e encadernação.

O número de alunos era tão grande, que os frades tiveram que contratar irmãos leigos para auxiliar nas atividades administrativas.

A grande maioria dos frades eram professores, muitos formados com cursos superiores e desempenhavam trabalhos em áreas diversificadas.

Com uma quantidade tão grande de alunos era preciso que houvesse uma grande organização administrativa, já que os alunos moravam no convento e, apenas nas férias, alguns voltavam para suas casas. Alimentação, roupa, sapato, móveis eram coisas produzidas dentro do convento pelos frades nas oficinas.

Com o aumento da demanda por vagas, o Colégio Seráfico Santo Antônio passou a contratar professores sem vínculos com a Ordem Franciscana para lecionar. No convento, estudavam apenas alunos do sexo masculino e as aulas no princípio eram dadas apenas pelos frades.

Mas o trabalho dos frades não estava apenas restrito apenas ás salas de aula do convento, desenvolviam um trabalho espiritual junto a população.

No ano de 1961, com 222 alunos e 48 religiosos, o Colégio Seráfico Santo Antônio parou de funcionar devido à falta de verba que vinham da Alemanha, pela falta vocacional dos alunos e pala abertura política e melhoramento do sistema educacional.

Após o encerramento das atividades do seminário, os alunos que não tinham vocação para a vida religiosa voltaram para suas cidades de origem, outros foram estudar em Campina Grande. Durante o seu período de funcionamento de 1941 a 1961 o Convento de Ipuarana recebeu a quantidade de 3.100 alunos (UCHOA, 66, p. 508).

O Convento de Ipuarana pertence a Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil e hoje é uma referência para católicos de todo o estado e até mesmo do país. Atualmente, funciona como um centro de encontros e convenções.

Com redação

0 comentários: